Follow by Email

sábado, 25 de dezembro de 2010

Professor José Geraldo - Faixa Preta 1º Grau - URU-CAN BRASIL


Mestre Lopes
Criador e Idealizador do Estilo Brasileiro de Lutas: URU-CAN BRASILe Paulo César da Silva

O Sistema URU-CAN BRASIL, foi criado em 1972 no Estado do Rio de Janeiro pelo brasileiro, PAULO CÉSAR DA SILVA LOPES, como: (Paulo Associação de Lutas Brasileiras), sendo denominado e oficializado em 13 de Dezembro de 1983, como: (Federação do Estilo Brasileiro de Lutas URU-CAN, URU-FAL DO BRASIL E DEFESA PESSOAL). Portanto teve a colaboração dos então Srs. TEN. CEL. HELIO GOMES BORBA, 2º TEN. JOSE HELDER DE SOUZA ANDRADE e 2º TEN. MARCOS DE ARAÚJO, ambos do Exército Brasileiro.
ORIGEM DO NOME



          O nome (URU-CAN) é originário das iniciais, dos nomes de duas cobras  brasileiras: (URUTU E CANINANA). Existentes no Norte e Nordeste do país.
FORMAÇÃO DE TÉCNICA


         O URU-CAN é formado de uma ASSOCIAÇÃO, com combinações de técnicas, de diversas artes marciais. Porém, as técnicas foram aperfeiçoadas, tornando-se simples e objetivas. Tendo como composição básica: sete (07) bases fundamentais, formas (kata), sequências de defesas pessoais, rolamentos simples e com saltos, chutes, joelhadas, socos, cotoveladas, chaves, quedas, projeções, estrangulamentos, imobilizações, técnicas de finalizações no solo e defesas com arma branca e arma de fogo; Incluindo técnicas defensivas, com a utilização das armas: (Nunchaku, espada e bastão).

PERFIL E APLICAÇÕES DE TÉCNICAS

        O Sistema de Combate URU-CAN BRASIL, é uma arte dinâmica e em constante aperfeiçoamento e incorporação de novas técnicas, sejam elas de outros estilos, artes ou sistemas de combate, onde há variações das técnicas apresentadas. O URU-CAN é uma técnica de combate e defesa pessoal adapatada as nossas realidades urbanas e sociais, que tem como objetivo, finalizar o oponente com rapidez e eficiência.


• As formas de defesa e ataque quer sejam em pé ou no solo, podem mudar de acordo com as circunstâncias em que se dá o combate.
• As formas de bloqueio, englobam a utilização de técnicas: chute lateral, lateral cruzado, frontal. Com os pés em trava, com a palma da mão, com o antibraço, com o antibraço invertido, com o antibraço duplo, com a canela, com o cotovelo e diversas outras variações.
• Nas formas de esquiva, o corpo do praticante pode ser usado com as seguintes técnicas: pêndulo de tronco (mover) lateral, diagonal e para trás, de rosto lateral para trás, de rasteiras e outras variações.
• Na luta de contato (agarramento), o praticante procura ser o mais objetivo possível, finalizando o oponente através de torções, estrangulamentos e quedas. Porém, todas as formas citadas, são feitas com as aplicações de socos, chutes (batendo ou pisando) e em último caso, quebrando as articulações.

MÉTODO DE COMBATE

        Quanto à forma, como luta deve-se ter em mente que  a menor distância entre dois pontos é a linha reta, golpear sempre que possível em linha reta, obviamente este pensamento só é válido em casos de golpes de contato. Em golpes de projeção, torção não se pode pensar da mesma maneira, pelo contrário circule sempre. O círculo faz força sem se opor à força do oponente, o que não é o caso dos golpes de contato, em que é preciso ser bem rápido adquirindo velocidade e precisão.
REFLEXÃO
         Todos nós praticantes de artes marciais, devemos nos conscientizar, que a arte marcial é ciência. É a combinação de conhecimentos, entre a anatomia e fisiologia humana, e a física. Portanto, não há modalidade de luta melhor que a outra, em nenhum sentido. São os níveis de treinamentos que variam. Porém, há estilos que possuem maiores diversidades de técnicas do que outros, atendendo a cada atleta, de acordo com suas preferências e necessidades.

Atualmente o Sistema URU-CAN BRASIL, está muito bem  representado pelo professor José Geraldo (Faixa Preta 1º Grau), que após os mais de 37 anos da Arte, realizou e realiza um trabalho primoroso pelo Sistema URU-CAN, materializando um sonho antigo, que se traduziu na 1º Associação oficializada juridicamente do Estado do Rio de Janeiro (ATBCERJ) do Sistema URU-CAN BRASIL, coroando o seu  trabalho e dando continuidade ao sonho do Grande Mestre Paulo César.
A Associação dasTécnicas Brasileiras Combate do Estado do Rio de Janeiro, conta em seus quadros os seguintes faixas pretas e graduados: 

  • Mestre Leonardo Martins (Faixa Preta 5º Grau) ;
  •  Professor Luciano (Faixa Preta 1º Grau);
  •  Professor Henrique (Faixa Preta 1º Grau);
  • Instrutor Emerson (Faixa Azul Ponta Preta) ; e;
  • Instrutor Jefferson (Faixa Azul Ponta Preta).
SONHO QUE SE SONHA JUNTO, VIRÁ REALIDADE!

Nenhum comentário:

Postar um comentário