Follow by Email

quinta-feira, 17 de março de 2011

IVAN GOMES - JIU JITSU

Ivan Gomes aplicando chave de braço em Waldemar Santana

Ivan Gomes - Um campeão esquecido. Vídeo

A morte de Hélio Gracie, amplamente divulgada na imprensa, me remeteu a outro grande lutador brasileiro. Ivan Simão da Cunha Gomes, o Ivan Gomes, paraibano de Campina Grande, lutador dos anos sessenta e setenta e considerado uma legenda da luta livre de todos os tempos.

Ivan era invencível, seu currículo apresenta mais de duzentas lutas comprovadas. Para muitos especialistas, deveria ser reverenciado como o maior lutador de Vale-Tudo do século passado. Era respeitado por todos os grandes lutadores, desde seu mestre Hélio Gracie até Waldemar Santana. Em uma entrevista, Carlson Gracie, outro mito do Jiu-Jitsu, confessou que foi contra Ivan, sua luta mais difícil (terminou em empate).

Nos anose 70,ainda garoto, ouvia muitos comentários sobre Ivan, principalmente em Campina Grande, cidade onde nasci. Cheguei a conhecê-lo, era comum vê-lo dirigindo seu velho Jipe sem capota, pelas ruas do centro de Campina. Nas conversas de fim de tarde da Avenida Maciel Pinheiro, os campinenses falavam com muito orgulho do seu campeão, de como vencera a luta contra Waldemar Santana, como levantou um lutador de 100 quilos e o arremessou fora do ringue, da injustiça dos juízes na luta contra um Holandês no Japão...

Na década de setenta montou sua academia na rua Venancio Neiva, em Campina Grande onde repassou suas técnicas de luta chamada de “O sistema Ivan Gomes”, método praticado até hoje.

Ivan faleceu em 1990, ainda jovem, aos 50 anos, de acordo com informações colhidas na Internet, vítima de complicações renais. Mesmo com todas as conquistas, está meio esquecido - uma pesquisa feita pelo site TATAME revela que 65% dos brasileiros que hoje acompanham o Vale-Tudo não sabem sequer quem foi o lutador.
Ivan Gomes aplicando armlock
IVAN GOMES
Fabio Quio Takao
Colaboraram: André Farkatt, Dinaldson “Dolinha”, Hugo Lira e Cléa Cordeiro

Para se ter uma idéia do potencial de Ivan Gomes, basta dizer que ele foi considerado o rival mais difícil (reconhecido por ambos) de Euclides Pereira e Carlson Gracie. Um caso típico em que a aptidão e a determinação vencem todos os prognósticos e as adversidades parecem fortalecer ainda mais o mito.

Ivan Gomes nasceu em Campina Grande-PB, em 1940, região pobre de um país que não concede incentivo algum às lutas. Seu nome verdadeiro é Ivan Simão da Cunha, mas resolveu adotar o sobrenome Gomes de sua mãe para homenagea-la.
Ivan Gomes aplicando chave de braço em Waldemar Santana
Sua família não tinha qualquer ligação com as lutas, e junto com os irmãos José e Jaildo, Ivan teve o primeiro contato através das telas do cinema de Campina Grande, em 1957. Depois de alguma procura, ficaram sabendo da Academia do Professor “Tatá”, que havia morado no Rio de Janeiro e dava aulas de Boxe.
  
Durante algum tempo, os irmãos praticavam na academia e também à margem do açude Bodocongó, onde na maioria das vezes machucavam joelhos e cotovelos. Além disso, praticavam também musculação, por exigência de Tatá. Um fato que impulsionou a formação de Ivan foi a chegada de Osmar Mousinho “Biuce”. Biuce, que fora aluno de Herondino, introduziu Ivan no Jiu Jitsu. Foi nessa fase que Ivan fez sua primeira luta de Boxe e empatou com Orlando, campeão paraibano. A chegada de Biuce em Campina Grande atraiu desafiantes como o lutador Touro Novo, que desafiou Biuce para um combate de Vale Tudo. Biuce perdeu a primeira luta, mas ganhou a revanche dentro das regras do Jiu Jitsu. Curiosamente, após esses desafios, Touro Novo acabou se tornando parceiro de treinos e passou suas técnicas para Ivan Gomes e seus irmãos.
Ivan Gomes ataca a guarda de Carlson Gracie em luta que terminaria empatada
Outra influência importante para Ivan foi o José Maria Freire, aluno de Nilo Veloso, que por sua vez fora aluno de George Gracie. Ivan treinou entre 1958 e 1959 com José Maria. Após esse período, José Maria mudou-se para Recife formando muitos lutadores até seu falecimento em 1995.
  
A próxima influência na formação de Ivan viria através de Agatângelo Braga, que viera de Natal e era cunhado de Osmar Biuce. Agatângelo reconheceu de imediato o talento de Ivan e passou a treiná-lo, incrementando a parte de chutes – considerada essencial. Nessa época Ivan já se destacava em lutas estaduais. Em 1962 fez lutas marcantes como a luta contra o cigano Severino Tairovich, adversário com quem já havia empatado uma vez.
Ivan Gomes lutando no Japão em 1975
A fama de Ivan já havia alcançado o Rio de Janeiro e a família Gracie enviou um representante chamado Moacir Luzia do Vale pesando mais de 100kg e que em seu currículo envergava um empate com Valdemar Santana. A luta começou com Moacir montando em Ivan, que conseguiu se defender, e aos 4 minutos do 1º round, saiu de baixo para logo em seguida pegar as costas de Moacir. Detalhe, nessa época Ivan pesava 78 kg. Nos rounds seguintes, Ivan derrubou Moacir três vezes ao chão e a luta terminou empatada. Para todos da família de Ivan, essa luta foi um teste planejado pela Academia Gracie, visando avaliar as condições que Ivan teria para enfrentar o melhor do Brasil na época: Carlson Gracie.
Ivan Gomes de Kimono
Ivan, que empatara com Valdemar Santana e já havia enfrentado todos os grandes lutadores do Nordeste, estava prestes a chegar numa encruzilhada inevitável: enfrentar a maior família de lutadores do mundo, os Gracie. Esse destino era inevitável, até porque Ivan era um lutador com diversas influências, mas que passara por diversos alunos de George Gracie e Pedro Hemetério. Em dezembro de 1963, aconteceu um dos maiores combates de Vale Tudo de todos os tempos e Ivan e Carlson empataram.
  
Após essa luta épica, Ivan Gomes seguiu para o Rio de Janeiro onde enfrentaria Juarez Ferreira, contra quem havia empatado uma vez e derrotado em outra ocasião. Nessa terceira luta Ivan derrotou Juarez novamente. É interessante dizer que no primeiro empate, Juarez aplicou uma kimura em Ivan sem sucesso e que na segunda e terceira vezes que lutaram, foi Ivan quem aplicou com sucesso a mesma chave.
  
Em 1964, Ivan e Carlson se conheceram no Rio de Janeiro e a empatia entre ambos foi instantânea. Logo Carlson o convidou para se mudar para o Rio e juntos montarem uma academia. A importância desse fato nunca foi devidamente valorizada, mas é importante frisar que nessa época Carlson Gracie era considerado o melhor lutador de Vale Tudo do Brasil. Além disso, Carlson foi criado dentro das diretrizes de seu pai, Carlos, e de seu tio, Hélio, que valorizavam a hegemonia do clã da família Gracie. Somente por esses dois fatos já era difícil imaginar que Carlson não só reconheceria o valor de Ivan como também o convidaria para montar uma academia, e consequentemente, compartilhar a experiência dos Gracie. Esse reconhecimento ficou muito mais evidente por Carlson ter um temperamento extremamente confiante, chegando à beira do soberbo.
Ivan Gomes contra Willen Ruska: luta transmitida pela Rede Globo
Para fortalecer ainda mais o vínculo entre Ivan e a família Gracie, foi publicada na Revista dos Esportes em novembro de 1965 uma matéria onde o grande mestre Hélio faz um desafio bombástico que dava título a matéria: “Quero que provem que o Judô é melhor que o Jiu Jitsu”. Na matéria, mestre Hélio disponibiliza Carlson e Ivan Gomes para quem quisesse medir forças com o Jiu Jitsu.
  
O talento de Ivan Gomes começou a tomar proporções tão grandes que ele foi convidado para fazer várias lutas no Suriname, onde passou alguns meses. Mas com certeza sua consagração veio com o convite de Antônio Inoki, japonês que morou no Brasil durante sua infância e que falava português. Inoki promovia lutas no Japão e em 1976 convidou Ivan, que passou onze meses viajando e lutando por todo o país. Graças ao prestígio de Inoki e às atuações espetaculares de Ivan, em pouco tempo o paraibano conseguiu o reconhecimento do povo nipônico, coisa que ainda não havia conseguido nem mesmo em seu próprio país.

Outra característica marcante de Ivan era a sua técnica de Judô. Além de seu talento, Ivan lutou ao longo de sua carreira com notáveis senseis como Hayashi Kawamura, em Recife, e Massaioshi Saitô, em Belém. Essa habilidade foi posta à prova quando enfrentou Willen Ruska, judoca que ganhou a medalha de ouro nos pesos pesado e absoluto nas olimpíadas de Munique, em 1972. A luta foi polêmica pois houve supostamente alguns golpes proibidos e a vitória de Ivan foi contestada por alguns presentes.
  
De volta ao Brasil em 1966, Ivan montou uma academia em Campina Grande com os irmãos Jaildo e José e passou a dar aulas e a expandir o que ficou conhecido como Sistema Ivan Gomes de Jiu Jitsu. Nessa época conheceu sua companheira Cléa Cordeiro com quem viveu até sua morte prematura em 1990. Sua morte foi causada por complicações oriundas de um coágulo e aos 50 anos morria um dos maiores lutadores de Vale Tudo do mundo.
  
Ivan teve cinco filhos, sendo um pernambucano, uma filha carioca chamada Regina Celi, duas filhas paraibanas chamadas Simone e Ivanya. Somente o seu filho carioca chamado Márcio é que seguiu o caminho de lutas e hoje mora na Espanha. Márcio é mestre em capoeira e é conhecido como Mestre Coringa.
  
Contar a trajetória de Ivan Gomes em poucas linhas torna-se impossível e há alguns anos, Cléa Cordeiro prometeu lançar um livro detalhando a jornada desse guerreiro nordestino. Enquanto aguardamos a revelação desse acervo, vamos conhecer mais sobre o legado que Ivan deixou e que hoje é liderado por José Gomes ainda hoje no PORTAL BRASIL COMBATE.
*Fabio Quio Takao é repórter e pesquisador do Vale Tudo, Jiu Jitsu e MMA. É praticante de Jiu Jiutsu e já escreveu para revistas nacionais e internacionais. Contato: fabio.quio@ig.com.br

6 Ivan Gomes contra Willen Ruska -  luta transmitida pela Rede Globo
5 Ivan Gomes de Kimono
4 Ivan Gomes lutando no Japão em 1975
3 Ivan Gomes ataca a guarda de Carlson Gracie em luta que terminaria empatada.
2 Ivan Gomes aplicando chave de braço em Waldemar Santana
1 Ivan Gomes aplicando armlock

Nenhum comentário:

Postar um comentário