Follow by Email

domingo, 24 de abril de 2011

Dr. Sohaku Bastos - PARTE I

 FONTE: http://sohaku.com.br/?page_id=10

Décadas de 50 e 60

No início da década de 60, Dr. Sohaku Bastos recebe a faixa preta de judô (estilo Butokukai) e, posteriormente, de jiu jitsu (estilo Gracie). Teve o seu primeiro contato com o Karate nessa época em São Paulo, através do professor Harada - 7º Dan e, posteriormente, no Rio de Janeiro com o instrutor Sadamu Uriu, em 1964.

Nessa ocasião, só existiam no Brasil dois segmentos que atuavam com a Acupuntura:

No final da 2ª Grande Guerra ocorreu em São Paulo a primeira tentativa de organização dos profissionais de Acupuntura de origem japonesa que tentaram formar uma associação de medicina oriental. Contudo, apenas em 1956 é que foi criada uma Associação que congregava os praticantes japoneses de Medicina Oriental (Toyo Igaku) em São Paulo, dando origem, posteriormente, à ANDEMO - Associação Nacional para o Desenvolvimento da Medicina Oriental, que existe até hoje.

Nos anos 60, todavia, os acupunturistas e os médicos japoneses exerciam atividades de Acupuntura restritas à colônia japonesa e foram poucos os brasileiros que se beneficiaram com esse tratamento. A chegada ao Brasil do imigrante luxemburguês Prof. Frederich Spaeth, que estudou na Europa, permitiu que a Acupuntura se tornasse mais conhecida por um seleto grupo de profissionais da área de saúde em nosso país.

1964 – Fotos de Dr. Sohaku Bastos praticando artes marciais:

Treinando com o colega William Felipe

Treinando com Sadamu Uriu

1965– Conquista o campeonato carioca de Karatê pela Federação Carioca de Pugilismo. Colabora na fundação do Ginásio Nipo-brasileiro de Cultura Física – Academia Shidokan.


1965- Torna-se instrutor de Karate para adultos e de Judô para crianças no América Futebol Clube, Rio de Janeiro.

1966– É promovido a faixa-preta de Karate e assume a presidência do Ginásio Nipo-brasileiro de Cultura Fisica – Academia Shidokan.


1967- Obtém licença especial da Secretaria de Educação e Cultura do Rio de Janeiro para lecionar Karate e Judô.

1967- Ajuda a introduzir o Karate nas Forças Armadas e Órgãos Policiais no Rio de Janeiro (Núcleo Aero-terrestre Paraquedistas do Exercito, Corpo Motorizado do Exercito, ESAER- Aeronáutica, Fuzileiros Navais, PM-RJ, Policia Federal etc.)

Treinando no Alto da Boa Vista (acima).

1967– Torna-se membro da Sociedade Teosófica do Brasil e da Fraternidade Rosacruz- Amorc- e inicia a formação monástica budista na Comunidade Budista Soto Zen Shu, em São Paulo. Participa do início da construção do templo budista da Sociedade Budista do Brasil em Santa Teresa, Rio de Janeiro, convidado pelo Professor Murilo Nunes de Azevedo. Inicia o treinamento de meditação Zen Budista para os alunos de Karate e artes marciais da Academia Shidokan.

1967– Introduz nos treinamentos de artes marciais a meditação Zen (zazen) para os praticantes de Karate do Rio de Janeiro.

Orientando a prática da meditação para praticantes de Karate

1968- Conquista o primeiro campeonato carioca de Karate (faixa-preta) e se torna o capitão da equipe campeã. Torna-se também o primeiro campeão nacional de faixas-pretas de Karate pela Associação Japonesa de Karate (Nihon Karate Kyokai).

Luta final com o colega Inoki Hiroyasu

Foto da 1ª equipe campeã carioca

1968- Cria o grupo Kensho de treinamentos avançados de artes marciais.

Dr. Sohaku e seus alunos do Grupo Kenshô de Karate

1968- Inicia a atividade de jornalista e colunista do Jornal dos Sports na área de saúde e esportes.

1968- Desenvolve interesse especial por Economia Política, ajudando a fomentar entre os colegas da Academia de Comércio do Rio de Janeiro da Faculdade Cândido Mendes, a pesquisa nessa área do saber e desiste de estudar a medicina alopática no Brasil.

1968- Colabora com o Prof. Murillo de Azevedo no projeto do curso de Extensão de Filosofia Oriental a ser promovido na Pontifícia Universidade Católica - PUC, Rio de Janeiro.

1968– Transfere a Academia Shidokan da Usina para a Tijuca, passando a ter mais de 400 alunos de Karate.

Foto da academia

Com o seu aluno Naoyuki Hirakawa

Com os instrutores e alunos da Academia

1969– Escreve artigo sobre Karate para a Revista High Sport – Rio de Janeiro.

1969– Viaja para o Japão para estudar Budismo, Artes Marciais e Medicina Oriental.

Em meados dos anos 60 existiam apenas três acupunturistas no Rio de Janeiro: Prof. Watanabe (falecido), Prof. Sakae Maki (falecido) e Prof. Yoshishige Okai (residindo atualmente em Portugal), que faziam atendimentos a pacientes em consultórios particulares.

FONTE: http://sohaku.com.br/?page_id=10

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário