Follow by Email

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Três prédios desabam no centro do Rio de Janeiro - 25-01-2012

Três prédios desabam no centro do Rio de Janeiro; cinco pessoas foram resgatadas

Eu tive sorte, parecia o 11 de Setembro. Parecia que estavam jogando entulho de cima do telhado. Eu vi uma laje caindo e saí correndo. Se ficasse, ia cair em mim
Vicente Cruz, entregador de água, que estava em um dos prédios que desabou
Três prédios desabaram por volta das 20h30 desta quarta-feira (25) no centro do Rio de Janeiro: um maior, na rua Treze de Maio (chamado Liberdade), que tinha 20 andares; um menor, no número 16 da rua Manoel de Carvalho, com 10 andares (chamado Colombo); e ainda um imóvel pequeno, localizado entre os dois edifícios maiores, com quatro ou cinco andares.
O secretário da Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Simões, disse no início da madrugada desta quinta-feira que as chances de encontrar sobreviventes entre os escombros são "muito pequenas". Segundo ele, ainda há pessoas desaparecidas. As buscas vão durar toda a madrugada.
Não estou no prejuízo porque consegui sair do prédio vivo. Estava no 9º andar e não sei como desci do prédio, só sei que estou vivo
Gilberto Figueiredo, que estava no local
Equipes da prefeitura, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar (PM) estão no local. Até agora, cinco pessoas já foram retiradas dos escombros. 
Funcionários da Secretaria Municipal de Assistência Social montaram uma base na Câmara de Vereadores, na praça da Cinelândia para orientar os parentes das vítimas.

Prédios desabam no centro do Rio de Janeiro

Foto 9 de 73 - Destroços do prédio que desabou, na avenida Treze de Maio, no centro do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (25). Equipes da prefeitura, do Corpo de Bombeiros e da PM estão no local. Ainda não há informações sobre o que causou o desabamento Pedro Kirilos/Agência O Globo
Segundo a Secretaria de Saúde, os feridos foram encaminhados ao hospital Souza Aguiar. Há dois homens de 37 anos --um deles, que estava no prédio, apresenta um ferimento na perna e o outro, que estava passando pelo local na hora, sofreu escoriações leves; uma mulher de 28 anos, que sofreu um corte na cabeça e foi encaminhada para o centro cirúrgico; um homem de 50 anos, que sofreu apenas escoriações leves; e outro, de 31 anos, que está em estado de choque.
Um homem que estava dentro de um dos elevadores do edifício Liberdade conseguiu ser resgatado após entrar em contato com um amigo pelo celular.

Área isolada

Simões confirmou que os prédios ao lado dos que desabaram não ficaram comprometidos, como já havia adiantado o prefeito do Rio, Eduardo Paes, mas a área de isolamento foi ampliada por conta de uma suspeita de vazamento de gás. A rede de gás da região foi desligada e bueiros próximos foram interditados.
Paes pediu a todas as pessoas que trabalham em prédios da rua Treze de Maio que fiquem em casa e evitem a região nesta quinta, já que a entrada nos edifícios não será permitida.

VEJA ONDE FICAVAM OS PRÉDIOS QUE DESABARAM

  • Google
    Os prédios que desabaram aparecem marcados em vermelho e azul
O local fica bem próximo ao Theatro Municipal, que não foi afetado, segundo a presidente da entidade, Carla Camurati. Dois fiscais do Crea-RJ (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) estão na rua Treze de Maio, acompanhando os trabalhos da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros. O objetivo é buscar as primeiras informações para detectar as causas do desabamento.
Para que as equipes possam trabalhar ao longo de toda a quinta-feira (26) na região do desabamento de três prédios no centro do Rio, a CET-Rio preparou um esquema especial para a área (confira aqui).
As avenidas Treze de Maio e a Almirante Barroso (trecho entre a rua Senador Dantas e a avenida Rio Branco) ficarão totalmente interditadas para o tráfego de veículos. Já a rua Senador Dantas sofrerá interdição de mão. Os veículos procedentes da avenida República do Chile deverão entrar na via, acessando na sequência a rua Evaristo da Veiga.  
Por volta das 4h45 da madrugada desta quinta-feira (26), o Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que o tráfego na avenida Rio Branco e na rua Evaristo da Veiga, nas proximidades dos desabamentos, foi liberado.
A concessionária Metrô Rio informou que as estações Presidente Vargas, Uruguaiana, Carioca e Cinelândia, que estão muito próximas ao local do acidente e chegaram a ser fechadas, abrirão normalmente na manhã desta quinta-feira. De acordo com o presidente do Metrô, nenhuma das estações localizadas naquele trecho da cidade sofreu qualquer tipo de abalo estrutural.

VEJA IMAGENS DO LOCAL LOGO APÓS O DESABAMENTO




Prédio desaba no Centro do Rio

Segundo a Defesa Civil, a tragédia deixou 11 vítimas, entre mortos e feridos.
Prédio fica na Rua Treze de Maio, perto do Teatro Municipal.

Do G1 RJ, com informações da Globo News

tópicos:
Um desabamento atingiu pelo menos dois prédios no Centro do Rio, na altura da Avenida Treze de Maio. De acordo com a empresária Zilene Bernardino, que trabalha no local, desabaram um prédio de dez andares na Rua Manuel de Carvalho, esquina com Treze de Maio, e outro de 21 andares na própria Treze de Maio. A Defesa Civil Estadual informou que o desabamento deixou 11 vítimas, entre mortos e feridos, um deles retirado do meio dos escombros.
Queda de prédio na Cinelândia (Foto: Rafael Andrade/VC no G1)Multidão se aglomera diante do escombros
(Foto: Rafael Andrade/VC no G1)
Uma moradora de um prédio vizinho relatou que três andares do prédio desabado passavam por reforma. "De repente, ouvimos um grande barulho e começou a voar tudo, e os 18 andares caíram", contou a argentina Devora Galavardo, que mora há seis meses em frente ao prédio que desabou.
Amigos e parentes cercam o local em busca de informações sobre pessoas que trabalham na região, enquanto a Guarda Municipal impede a aproximação, pelo temor de dano estrutural às construções vizinhas.
De acordo com a assessoria do Corpo de Bombeiros, há 60 homens da corporação no local do desabamento atuando no trabalho de socorro. Há bombeiros dos quartéis da Barra da Tijuca, de São Cristóvão e do Centro. Há 14 viaturas entre ambulâncias, caminhões de água e de escada magirus.
A Secretaria de Estado de Saúde informou que colocou em alerta todos os hospitais da rede pública estadual, além das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Tijuca e de Botafogo, que são as mais próximas. O secretário de Saúde Sérgio Côrtes está no local.
Já a Companhia Distribuidora de Gás do Estado do Rio de Janeiro (CEG) informou que a rede de gás do quarteirão da Rua Trezede Maio foi fechada . Em relação a algumas informações sobre cheiro de gás na região, a assessoria de comunicação da CEG disse que pode ser uma consequência do desabamento.
De acordo com informações do Centro de Operações da prefeitura, a Avenida Almirante Barroso, entre a Rua Senador Dantas e Avenida Rio Branco, está interditada em ambos os sentidos. No twitter do Centro de Operações, a prefeitura faz um alerta: "Atenção motoristas! Evite a região da Cinelândia, Carioca e Rio Branco para não atrapalhar os trabalhos dos Bombeiros e Defesa Civil".
Prédio desaba no Centro do Rio (Foto: Marcelo Piu/Agência O Globo)Prédio desaba no Centro do Rio (Foto: Marcelo Piu/Agência O Globo)


A Light desligou a luz nos arredores para evitar incêndios. Vinte viaturas da polícia foram acionadas para isolar a área.
Segundo o Metrô Rio, as estações da Presidente Vargas, Uruguaiana, Carioca e Cinelândia foram fechadas. O prefeito Eduardo Paes está no local.
Prédio desaba e causa destruição no Centro do Rio (Foto: Reprodução TV Globo)Prédio desaba e causa destruição no Centro do Rio (Foto: Reprodução TV Globo)

Prédio desaba no Centro do Rio

Edifício ficava próximo ao Theatro Municipal e provocou a destruição parcial do imóvel vizinho. Relatos dão conta de tremor e forte estrondo na hora do desabamento

Rio - Um prédio de 20 andares desabou na noite desta quarta-feira na Avenida Treze de Maio, número 44, no Centro do Rio. Com a queda, os imóveis ao lado, um de oito e outro de quatro andares foram atingidos. O menor foi destruído enquanto o outro acabou parcialmente demolido. O prédio fica ao lado do Theatro Municipal, que foi atingido em seu anexo. Bombeiros, policiais militares e equipes da Prefeitura trabalham no local para encontrar vítimas. Até o momento, cinco pessoas - quatro homens e uma mulher - foram encaminhadas feridas para o Hospital Souza Aguiar.
Foto: Ernesto Carriço / Agência O Dia
Foto: Ernesto Carriço / Agência O Dia
Por conta do incidente, a Rua Evaristo da Veiga; a Avenida Almirante Barroso, entre Rio Branco e Senador Dantas, acesso à Avenida Rio Branco pela Avenida Presidente Vargas e Avenida Chile, encontram-se interditadas ao tráfego de veículos em ambos os sentidos. O desvio da Almirante Barroso para quem vem da Avenida Rio Branco está sendo feito pela Rua da Carioca. Quem vem da Avenida Henrique Valadares está sendo feito pela Rua Gomes Freire, acessando a Rua Mem de Sá e a Rua do Passeio.
De acordo com testemunhas, um tremor foi sentido pro volta de 20h30 junto de forte estrondo na hora do desabamento e uma grande nuvem branca tomou conta da região. Nos arredores do prédio foram ouvidos diversos gritos de socorro. Diversos veículos foram atingidos e há relatos de cheiro de gás no local. Cinco vítimas foram socorridas com vida logo após o desabamento e encaminhadas para o Hospital Souza Aguiar.
Arte: O Dia
Os feridos foram identificados como Marcelo Antonio Moreira, 50 anos, Francisco Rodrigues da Costa, 37, Cristiane do Carmos, 28, André, 37, e Alessandro, sem idade confirmada. Marcelo é zelador do prédio de oito andares e teve um corte na perna. Francisco, operário de uma obra no edifício maior teve ferimentos leves e já foi liberado. André também teve ferimentos leves, além de dor abdominal

Alessandro trabalhava como decorador em uma obra no 9º andar e foi resgatado dentro do elevador sem hematomas. Ele ficará em observação até o meio-dia desta quinta-feira. Já o estado de Cristiane inspira cuidados. Ela foi atingida por um bloco de concreto e sofreu uma lesão na cabeça. Cristiane trabalhava no prédio como decoradora.
Um cordão de isolamento foi formado e um prédio ao lado de 21 andares foi isolado e também correria risco de desabamento. Pessoas chegaram a ficar isoladas nos andares mais altos, já que escombros atingiram as escadas e a portaria do prédio.
O trabalho dos Bombeiros foi dificultado por conta da quantidade de carros no entorno do prédio que desabou. Desde o momento do desastre, diversas pessoas saíram dos escombros, sujos de terra, muitos chorando e alguns ensanguentados.
Em virtude do desabamento a Secretaria de Estado de Saúde colocou em alerta todos os hospitais da rede pública estadual e as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Tijuca e Botafogo, que são as mais próximas. O secretário de Saúde Sérgio Côrtes também esteve no local.
Foto: Ernesto Carriço / Agência O Dia
Foto: Ernesto Carriço / Agência O Dia
Às 21h13, a Light foi acionada para cortar a luz em toda a região e equipes já se dirigiram ao local para realizar o serviço. Ainda não há informações sobre as causas do desabamento. A CEG também foi acionada e desligou toda a rede da região. A empresa não sabe o que pode ter causado o desastre.
Dois fiscais do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RJ) estão acompanhando os trabalhos da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros. O objetivo é buscar as primeiras informações para detectar as causas do desabamento do edifício. Nesta quinta-feira, a partir das 9 horas, o presidente da Comissão de Análise e Prevenção de Acidentes (CAPA), Luiz Antonio Cosenza, estará no local para dar prosseguimento aos trabalhos. 
O comandante do Corpo de Bombeiros, o coronel Sérgio Simões afirmou que não há risco de desabamento no prédio de 20 andares ao lado, que fica de frente para a Avenida Chile, e no prédio anexo ao Theatro Municipal. Simões disse ainda ser pequena a possibilidade de encontrarem sobreviventes debaixo dos escombros.
Um posto de referência, que estava na agência da Caixa Econômica Federal, foi transferido para o prédio da Câmara dos Vereadores. Lá, familiares podem buscar informações sobre pessoas desaparecidas.
Quatro estações do metrô fechadas
Visando a segurança dos passageiros, a direção do Metrô Rio fechou às 21h55 as estações Cinelândia, Carioca, Presidente Vargas e Uruguaiana, que ficam no entorno do desabamento. Nesta quinta-feira o funcionamento será nomal, informou o prefeito Eduardo Paes. 
A linha 1 funciona de Saens Pena até a Central e da Glória até General Osório, sendo interrompida no trecho do Centro. A linha 2 funciona da Pavuna até Estácio. Para ir à Central, é preciso fazer a transferência para a linha 1. A baldeação será no Estácio para desafogar a estação Central.
Foto: Leitor @rodriggomiranda
Poeira branca tomou conta de ruas do Centro | Foto: Leitor @rodriggomiranda
Os técnicos da concessionária, junto à Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, começaram a avaliar na noite desta quarta-feira se a tragédia afetou alguma estrutura do metrô ou se há vazamento de gás na região.
Testemunhas relatam pânico
Um homem que estava em frente ao prédio afirmou que ajudou a retirar três pessoas feridas dos escombros após o acidente. Orlando Silvino, de 52 anos, estava em um churrasquinho na frente da construção e afirmou que as pessoas foram levadas para o Hospital Souza Aguiar, também no Centro.
O analista de sistemas Fernando Amaro, de 29 anos, também estava na frente do prédio e contou que fugiu das primeiras pedras que cairam antes do desabamento total. De acordo com Fernando, ele aguardava um grupo de 10 amigos que faziam um treinamento no 6º andar. Os bombeiros aumentaram o isolamento no local para impedir a aproximação de curiosos.
Reportagem de Bruno Menezes, Christina Nascimento, Clarissa Mello, Diogo Dias, Francisco Edson Alves, Guilherme Santos, Maria Luisa Barros, Pamela Oliveira, e Ricardo Albuquerque














Reprodução do jornal O Globo


Capa do jornal Extra


Capa do jornal O Dia




Nenhum comentário:

Postar um comentário