Follow by Email

sábado, 18 de fevereiro de 2012

IMI LICHTENFELD - KRAV MAGÁ


IMI LICHTENFELD

Conhecido mundialmente como o criador do Krav Maga,  Imi levou ao meio civil (aulas em academias, destinada à população, depois que saiu do Exército) os seus conhecimentos sobre defesa pessoal aprendidos durante anos, dentro e fora do Exército de Israel.  Ele é muito importante no processo de expansão do Krav Magá para o mundo.

   
Imi Lichtenfeld
Criador do sistema de auto-defesa Krav Magá

Imrich ("Imi") Lichtenfeld Sde-Or nasceu em Budapeste / Império austro-húngaro em 26 de maio de 1910 e faleceu em Netânia / Israel em 09 de janeiro de 1998.

Imi viveu na Bratislava, seu pai Samuel Lichtenfeld era chefe e instrutor de defesa pessoal e imobilizações do serviço secreto Eslovaco, e ficou conhecido como o agente que prendeu o maior número de criminosos.

                        
Samuel Lichtenfeld - pai de Imi (nas fotos acima ele está fardado)

Com o incentivo de seu pai, Imi praticou vários esportes diferentes e entre 1928 e 1929 ele venceu vários campeonatos europeus de Greco-Romana e no mesmo ano ele se tornou campeão mundial de boxe.

Minifotogaleria   Minifotogaleria

Minifotogaleria  Minifotogaleria
Acima: vários momentos de Imi
fonte: http://krav-maga.nodns01.com/historia/imi 


Na década seguinte, Imi concentrou seu treinamento como lutador e instrutor de Greco-Romana e ganhou diversas medalhas em competições nacionais e internacionais.

Imi
No meio dos anos 30 a vida na Bratislava não era mais a mesma. Grupos fascistas ganhavam espaço e mudaram a vida do país.


Então, Imi se tornou o líder do grupo de resistência que lutou contra os fascistas. Entre os anos de 1936 e 1940, ele participou de incontáveis missões e violentos confrontos, sozinho ou em grupo.

Imi e seus companheiros lutaram com centenas, milhares de inimigos em uma guerra cruel e desigual. Todos esses acontecimentos e a vida pessoal de Imi trouxeram como conseqüência a força de seu corpo e espírito, o preparando para os acontecimentos que viriam, e plantou a semente que germinou, originando o Krav Maga.


Em 1940, Imi deixou a sua terra, família e amigos e embarcou no último navio que fugiu das garras dos nazistas, nada mais que uma simples jangada chamada "Pentcho" que foi adaptada para transportar centenas de pessoas que deixaram a Europa com destino a Israel.




ACIMA: PENTCHO, uma balsa de navegação
As histórias desse navio e de seus passageiros se tornaram famosas, e foram contadas no livro "A Odisséia" de John Borman. A Odisséia de Imi durou 2 anos, tempo em que ele freqüentemente pulava no mar para salvar a vida de passageiros ou até uma valorosa mala de comida no congelado Rio Danúbio.

Essas "aventuras" renderam para ele uma séria inflamação no ouvido que o deixou quase morto. Após a explosão de um tanque de gás do navio, na costa das Ilhas Gregas, sua ajuda foi pedida e após quatro dias e noites de grande esforço Imi ficou em um estado de saúde terrível, e foi levado a Alexandria, onde foi sujeito a muitas cirurgias.

Recuperado, ele se juntou no exército Checo que lutou pelo Exército Britânico no Oriente Médio, Líbia, Síria, Líbano e Egito. Então em 1942, ele se retirou do exército e recebeu permissão para viver em Israel, onde um novo capítulo de sua vida começou.




A chegada no estado de Israel representou para Imi outro passo em seu caminho de vida, sem perceber que esse "pequeno" passo seria, não obstante, sua marca, já que influenciou e deu direção para todos os Judeus no estado de Israel. Neste tempo, em 1942, se ativaram alguns lutadores pela liberdade das pessoas que moravam na região, principalmente contra ataques de "Fedanin" (gangues de criminosos que roubavam, seqüestravam e matavam com crueldade, não por necessidade, mas por prazer). Essa milícia era formada de três grupos: Haganah, Hetzel e Lehi. Dentro da Haganah, a maior organização das milícias, Imi encontrou alguns de seus velhos companheiros e alunos do Império Austro-Húngaro. Eles prontamente apresentaram Imi ao chefe da Haganah, Yitzhak Sadeh, que imediatamente colocou Imi como instrutor de musculação, defesa pessoal e combate corpo-a-corpo da sua organização. Imi pessoalmente ensinou aos grupos de elite da Haganah, Palmah e outros, como a "A.P.L.I.M.". Este último em especial foi a base para a criação dos grupos de elite das Forças de Defesa Israelenses anos mais tarde. Com a criação do Estado de Israel, Imi se juntou ao "Tzahal" (I.D.F. - Israeli Defense Forces, Forças de Defesa de Israel), e se tornou instrutor chefe de musculação e Krav Maga.


          

Ele começou a ensinar no exército, e para a escola de ginástica de toda a força armada. Nos 20 anos que se seguiram, Imi melhorou sua técnica especial de defesa pessoal e combate corpo-a-corpo. Ele pessoalmente treinou os melhores guerreiros dos melhores grupos de Elite das Forças Armadas Israelenses, pessoas que, com sua técnica, habilidade e coragem, mudaram o destino das operações e guerras que viriam acontecer. Aposentado como instrutor do Tzahal, ele adaptou e especializou a técnica do Krav Maga para civís, fazendo-a eficiente e acessível a todo ser humano, homem ou mulher, criança ou adulto, forte ou fraco. Para completar, ele abriu dois centros de treinamento, um em Tel-Aviv e outro em Netanya.

   


Neste processo de "abertura" para o mundo civíl, ele selecionou um pequeno grupo de alunos para serem responsáveis pelo Krav-Maga no futuro. Em 1978, ele fundou a Krav Maga Association em Israel. Imi Lichtenfeld foi, até sua aposentadoria, o conselheiro das Forças de Defesa de Israel, e até em uma idade mais avançada, deu aulas para mais faixas pretas graduados em Krav Maga e estava presente em todos os seminários e reuniões de Israel com praticantes de todo o mundo, pessoalmente supervisionando e transmitindo suas experiências, descobertas e o significado prático de sua criação, o Krav Maga.



Em uma carta especial de "Honra ao Mérito", o chefe das Forças de Defesa de Israel escreveu que na época de Haganah e Palmah, incluindo todos os anos do Tzahal, a capacidade pessoal foram os pilares da qualidade de um guerreiro israelense, e nao há ninguém mais responsável por esse resultado, por essa conquista, que Imi Lichtenfeld.





A mesma carta diz que a qualidade do Krav Maga é o resultado da qualidade humana de Imi por ser estruturado na simplicidade, objetividade, controle próprio, máximo de segurança em prática e combate, honestidade com respeito ao oponente, mesmo quando é um inimigo.


Em uma carta escrita pelo Ministro da Educação e Cultura, Zvulum Amer, é reconhecida a importância do preparo da juventude Israelense para encarar a violência do dia-a-dia e, por essa razão, o Ministro da Educação apóia o treinamento efetivo do Krav Maga nas escolas. O Ministro agradece Imi pela invenção de uma técnica tão eficiente com uma medalha de Honra ao Mérito azul e branco (cores da bandeira de Israel).

Caricatura de Imi

O Primeiro Ministro, Yitzhak Rabin, declarou que o treinamento para se tornar um soldado Israelense e a pessoa de Imi Lichtenfeld são sinônimos, sendo esses "dois" uma parte na evidência do sucesso das operações do Tzahal.


Imi Lichtenfeld Krav Magá








OBSERVAÇÕES: 

1 - Cidade onde Imi nasceu: Budapeste é a capital e maior cidade da Hungria e a sexta maior da União Europeia 

2 - Cidade onde Imi viveu:  Bratislava é a capital principal da Eslováquia, está situada no centro da Europa e no sudoeste da Eslováquia, Sua localização junto às fronteiras com a Áustria no oeste e Hungria no sul, faz que seja a única capital de um país no mundo cujas fronteiras são dois países. Está só a 62 quilômetros da fronteira com a República Checa e  60 quilômetros de Viena, que as tornam também as capitais Europeias mais próximas uma da outra.

3 - SDE-ORSde-Ou é o nome da família de Imi em hebraico, adotadas na infância, 60 anos. Lichtenfeld campo de luz = é a tradução exata do significado do seu nome.

FONTES:

WWW.KRAVMAGABRASIL.ORG

HTTP://WWW.KRAV-MAGA.NODNS01.COM/HISTORIA/IMI (KRAV MAGA SLOVAKIA)

HTTP://WWW.RIVKAH.COM.BR/TRADICOES/IMI/IMI.HTM

HTTP://WWW.KRAVMAGA.PT/IMILICHTENFELD.ASPX

Nenhum comentário:

Postar um comentário