Follow by Email

sábado, 24 de novembro de 2012

A bomba do Juizo final ?


A bomba do Juizo final : Tsar Bomba, a mais poderosa arma já criada pelo homem


Foto da explosão da Tsar Bomba (melhorada digitalmente)

Depois que as forças norte americanas assombraram o mundo lançando duas bombas atômicas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, com respectivamente 15 e 25 Quilotons em Agosto de 1945, antecipando em alguns meses o fim do maior conflito bélico da história da Humanidade, uma sombra de preocupação caiu sobre todos os países que tinham alguma divergência política ou ideológica com os Estados Unidos.

 
A destruição causada pelas bombas atômicas sobre Hiroshima (acima) e Nagasaki (abaixo) em 1945. 
Imagine o que causaria um artefato 1.400 vezes mais poderoso...

Com o objetivo de fazer frente ao poder nuclear dos americanos, a União Soviética intensificou suas pesquisas e experiências com artefatos nucleares, e os testes com bombas atômicas passaram a ser frequentes dentro e fora da "Cortina de Ferro". Fosse em remotas ilhas do Pacífico ou no gelado Ártico, americanos e soviéticos disputavam a superioridade da tecnologia nuclear no auge da Guerra Fria. 


Comparação do tamanho das bombas Fat Man lançada sobre Nagasaki (acima)
 e um réplica da Tsar Bomba (abaixo)

Haviam também algumas razões estratégicas para a construção de bombas tão poderosas: Os militares achavam que em caso de um novo conflito, haveria poucas chances de enviar bombas ao território inimigo, devido ao desenvolvimento das tecnologias de interceptação e rastreamento, e teriam poucas chances de ataque bem sucedidos, que deveriam ter sua destruição maximizada.

Estação russa de radares, herança da Guerra Fria...

Entre as décadas de 50 e início da década de 60 do século passado, era comum que os jornais informassem a realização de testes nucleares feitos pelas duas grandes potências. Porém, nenhum dos testes já feitos com bombas nucleares chegou sequer perto do ocorrido em 30 de Outubro de 1961, com o artefato que ficou conhecido como TSAR BOMBA.

Foto da Tsar Bomba tirada pelo avião que a lançou

A TSAR BOMBA foi a maior e mais poderosa bomba nuclear jamais construída, com 50 megatons, ou seja, equivalente a 50 milhões de toneladas de TNT, um poder destrutivo 1.400 vezes maior que as bombas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki somadas.

O gráfico acima mostra a disparidade do poder de cada uma das bombas atômicas já criadas pelo homem. As bombas de Hiroshima e Nagasaki tiveram que ser ampliadas, pois nem ficariam visíveis na escala original

Os russos tinham tecnologia para construir uma bomba com poder de 100 Megatons, mas simulações demonstraram ser impossível testar uma arma desta potência sem matar os tripulantes do avião que a lançaria, além do risco de espalhar uma nuvem radioativa sobre seu próprio território. Por estes motivos, foi construída uma bomba com metade da capacidade inicial, mas que mesmo assim já era muitas vezes maior do que a maior bomba que os norte-americanos testariam em toda a história. Mesmo com metade do tamanho, a TSAR Bomba pesava nada menos que 27 toneladas.

O local escolhido para o teste foi a remota ilha de Nova Zembla, no Ártico

O local escolhido para os testes foi a remota e inabitada ilha de Nova Zembla, no Oceano Ártico, ao longo do litoral russo. Devido ao isolamento do local, apesar de seu poder, foi o artefato nuclear "mais limpo" já testado, pois não contaminou mananciais, pessoas ou plantações de produtos agrícolas.

Poucos meses antes do teste soviético com a Tsar Bomba, 
o russo Yuri Gagarin tornava-se o primeiro homem no espaço

Quando foi lançada, em 30 de Outubro de 1961, pouco mais de 6 meses após o Cosmonauta Yuri Gagarin realizar o primeiro voo tripulado em órbita terrestre, o lançamento da TSAR Bomba gerou um "cogumelo de fogo" com mais de 64 km de altura (mais de 7 vezes a altura do Monte Everest), e pôde ser vista a mais de 1.000 km de distância. 

Comparação do "cogumelo" criado pela Tsar Bomba em relação á Bomba de Hiroshima e o Monte Everest

Para exemplificar seu fantástico poder, seguem algumas curiosidades sobre os efeitos do teste da TSAR Bomba:

- Todas as casas do pequeno vilarejo de Severny, localizados a 55 km do ponto de detonação foram totalmente pulverizadas (o local havia sido evacuado antes do teste).

- Um participante do teste viu um flash brilhante que o cegou momentaneamente mesmo com óculos escuros especiais, a uma distância de mais de 100 km do "ground zero"(ponto de detonação). Apesar de estar em um local protegido, o mesmo participante descreveu a passagem de um pulso de ar quente logo depois da explosão. Esta onda de calor poderia causar queimaduras de terceiro grau em uma pessoa que estivesse a 100km do "ground zero".

- A onda de choque causada pela TSAR Bomba quebrou janelas e destruiu telhados em vilarejos localizados até 700 km do "ground zero", chegando a quebrar janelas na Finlândia e Noruega.

- A energia liberada causou um abalo sísmico de 5.1 na Escala Richter, e foi muito diminuída pelo fato dos soviéticos terem decidido detonar a bomba antes de sua chegada ao solo, para minimizar os impactos sísmicos.

- O poder dos 50 Megatons da TSAR Bomba poderiam ser replicados construindo-se um cubo de TNT com 312 metros de largura e a altura aproximada da Torre Eiffel.

Saiba mais sobre o que é um "Megaton"em...


Porém, a mais impressionante de todas as informações sobre a TSAR Bomba foi que a energia liberada pela detonação foi equivalente ao total de 1% da energia liberada pelo SOL durante 1 segundo.

A impressionante foto capturada no momento exato da detonação, ainda no ar.
Os russos criaram um "Sol particular"

O desenvolvimento tecnológico da indústria bélica nos anos 60 e 70, principalmente com o advento dos Mísseis Balísticos Intercontinentais  fez com que a estratégia de construção de grandes bombas fosse modificada, focando na miniaturização e acurácia dos bombardeios, que fizeram com que nenhum outro artefato nuclear chegasse sequer perto da TSAR Bomba.












Nos anos 60, os mísseis intercontinentais passaram a ser os protagonistas bélicos da Guerra Fria, 
deixando as imensas bombas em segundo plano

Mas o gigante russo ficará para sempre marcado na história da humanidade, por ter proporcionado um espetáculo de rara beleza e tétrica destruição.

O vídeo abaixo foi gravado pelos soviéticos durante a detonação, e é tão belo quanto assustador. As imagens demonstram todo o poder da maior arma já construída pelo homem.



E apesar de todas as bravatas, os líderes americanos e soviéticos tiveram o bom senso de não usar todo este poder nuclear exatamente 1 ano depois, em Outubro de 1962, quando a Crise dos Mísseis em Cuba quase fez com que todas estas armas deixassem os campos de testes. Se isto tivesse acontecido, provavelmente teria sido chamada de "A Última Guerra"...

TRANSCRIÇÃO NA ÍNTEGRA DE:http://apocalink.blogspot.com.br/2012/11/a-historia-da-tsar-bomba-mais-poderosa.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário