Follow by Email

sábado, 20 de agosto de 2011

DISCÍPULOS OU PROSÉLITOS: O QUE AS IGREJAS TEM SE DEDICADO A FAZER?

TRANSCRIÇÃO NA ÍNTEGRA DE: http://www.verdadeocultadownload.com/search/label/SISTEMA%20RELIGIOSO

sexta-feira, 27 de maio de 2011




Discípulos ou Prosélitos: O Que As Igrejas Tem Se Dedicado A Fazer ?



Por Bruno Saavedra



cristãos

que são partidários aguerridos, que defendem com unhas e dentes aquilo que
acreditam ou aquele grupo do qual fazem parte. Esse tipo de seguidor é aquele
buscado pelos fariseus mencionado por Jesus em Mateus
23:15:


Ai de vocês, mestres da lei e fariseus,
hipócritas, porque percorrem terra e mar para fazer um convertido e, quando
conseguem, vocês o tornam duas vezes mais filho do inferno do que
vocês


A
versão J.F. Almeida Revista e Atualizada usa o termo prosélito, em vez de
convertido. Prosélito vem do grego
proselutos

e significa “aquele que chegou, estranho” (Dicionário Vine). Em contraste,
encontramos outro termo no Novo Testamento: discípulo. Este termo ocorre ocorre
257 vezes no Novo Testamento. Segundo o Easton’s Bible Dictionary, um discípulo
de Cristo é alguém que (tradução nossa):


Acredita nos ensinos de Cristo, crê em seu
sacrifício, recebe seu espírito e imita seu exemplo.


Proselitismo versus discipulado


A diferença nítida entre um prosélito e um
discípulo, a meu ver, é sua disposição em aprender. Um prosélito (a partir da
acepção de Mateus 23:15) tem fé cega. Segue alguém sem questionamento e seu
mestre gosta disso. É um indivíduo que crê somente, tem pouca disposição em
questionar. Vê em qualquer atitude de questionamento e dúvida uma atitude de
rebeldia. Partidos políticos gostam de prosélitos (vulgo militantes).
Verdadeiros mestres não.

Verdadeiros mestres gostam de discípulos.
Discípulos são aqueles que têm sede de conhecer. Questionar não é visto como
rebeldia, mas como a busca sincera de um coração que quer a verdade. Discípulos
são alunos, amam aprender e vivem buscando formas de praticar a
justiça.

Jesus nos mandou buscar discípulos (Mateus
28:19).


Portanto, vão e façam discípulos de todas as
nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito
Santo


Jesus não nos enviou a conquistar prosélitos.
Jesus não quer em sua igreja “vaquinhas de presépio” ou “papagaios de pirata”.
Ele deseja que aqueles que O seguem sejam alunos e professores ao mesmo tempo.
Jesus quer ver seus filhos como leitores atentos de Sua Palavra e não seguidores
cegos de lideranças religiosas que só sabem manipular suas mentes e seus
corações. O Senhor deseja homens que pratiquem a justiça, amem a fidelidade e
andem com Ele em humildade (c.f. Miquéias 6:8).


O exemplo dos bereanos


Um exemplo muito claro de discipulado real foi
aquele encontrado na cidade de Beréia. Ora, os bereanos não eram melhores que
quaisquer outros povos que receberam o evangelho. Contudo, ao entrarem em
contato com os mensageiros de Cristo, não acreditaram prontamente neles. Antes
duvidaram e isso não foi visto como rebeldia, mas como a busca sincera pela
verdade.


A disposição de buscar informações para validar o
que ouviam foi tamanha que foram dignos de um elogio registrado na Escritura
(Atos 17:11). Eles foram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a
mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver
se tudo era assim mesmo.


Quando vejo, em algumas igrejas, pessoas muito
mais dispostas a seguir um líder ou um ensinamento apregoado e não verificar se
as coisas são de fato como se afirma ser, entristeço. Não acredito que uma vida
cristã consistente pode ser conseguida a partir da acomodação. Como podemos
defender algo de maneira equilibrada e serena se pouco se analisou aquilo que
dizemos acreditar? Frases como “Meu pastor disse isso, então acredito” ou “Minha
igreja pensa assim, logo deve ser verdade, pois tantas pessoas não podem estar
enganadas...” me entristecem.


Não era isso que Jesus queria. Ele não quer meros
seguidores desprovidos de senso crítico.


Não me parece Sua vontade ter seguidores prontos a
aceitar sem questionar o que lhes é pregado (imposto?). Não se acanhe diante de
um “falso líder” ou “falso profeta” interessado única e exclusivamente em
arrebanhar mais ovelhas para sua congregação (e aumentar suas ofertas). Estude,
leia, pesquise, conheça. Adote o “ceticismo de Beréia”.


Não queremos dizer que você deve duvidar de tudo,
mas enfatizar que um discípulo de Cristo toma uma posição esclarecida com
relação à igreja e em relação à Palavra de Deus.


Nenhum comentário:

Postar um comentário