Follow by Email

domingo, 30 de outubro de 2011

O livro, “Como Explorar Dimensões Superiores no Espaço e no Tempo”


O livro, “Como Explorar Dimensões Superiores no Espaço e no Tempo”


Trancas no Tempo
O problema parece muito simples em teoria, mas é muito complicado na prática. Todo o indivíduo que nasce nesse planeta, a partir do momento da concepção, tem o que podemos chamar de “travas no tempo”: a alma está presa a um ponto no correr do tempo, relativo a seu momento de concepção e assim, tudo flui em uma velocidade normal na função tempo, principalmente a quarta dimensão. 
Quando o indivíduo acorda, o faz na hora certa, com a certeza de que todos e tudo continuam iguais e que não escorregou para uma nova realidade durante a noite. Está trancado em um período de tempo. Essas trancas permanecem por toda a vida. Ao morrer, elas desaparecem e o indivíduo fica livre, por assim dizer, para ir aonde  quiser no tempo. Pode reencarnar em qualquer época, anterior ou posterior. 
Essas travas ou trancas foram rompidas pela extrema força dos campos gerados pelo método do Dr. Van Neumann. Ele utilizou quatro bobinas Tesla gigantes. Não eram as ordinárias,  mas em forma de cones, ativadas em dupla por cada um dos geradores de 75w, operando a uma moderada baixa freqüência (impulsos). Tinha quatro transmissores “rf” de dois megawatts cada (cw), a 10% de ciclo ativo de impulso. A força era equivalente a 80% de megawatts (impulsos). A tripulação estava no deck perto da antena, que por sua vez, estava presa ao mastro do navio. Jamais na história, alguém havia sido submetido a campos de força de tal intensidade e muito menos a tais campos magnéticos. Ninguém tinha a menor idéia do que poderia acontecer e ninguém havia pensado nisso, a não ser Tesla, que sabia que algo aconteceria. Finalmente, Von Neumann concordou  com  o  óbvio, mas então, já era tarde. Acabaram com um punhado de pessoas enlouquecidas e outras, que ao perder suas travas de tempo, andaram através do nada e desapareceram para sempre.  O Significado do 12 de Agosto A importância do significado dessa data só se  tornou  clara  em  1988.  
É  um  fato estabelecido  que  o  ser  humano tem três biorritmos. A Terra, porém, possui quatro, fato descoberto por um amigo meu nos anos 80, ao fazer uma pesquisa com receptores “rf” e interferências. Com sua descoberta inicial,  conseguiu fundos governamentais para desenvolver seus estudos. Verificou, assim, que a Terra tem quatro biorritmos e que estes têm um momento de pico sempre na mesma data, 12 de agosto de 1943, 1963, 1983, em qualquer direção ao passado ou ao futuro, ad infinitum. O dia pode variar, mas sempre com uma aproximação de 24 horas. Aí  estava  a  sincronização entre os dois experimentos, que geraram energia suficiente para causar a interligação. O livro, “Como Explorar Dimensões Superiores no Espaço e no Tempo”, de T.B. Pawlicki, 1989, oferece alguns aspectos teóricos importantes. Nele, Pawlicki fala do toro (círculo) do tempo. Baseado nessa teoria, é possível a começar a entender o que aconteceu, isto é, se você tiver uma boa cabeça para a matemática ou para visualizar. Einstein afirmou que, em nosso universo não existe uma linha reta. Se começarmos de um ponto (não importando a direção) e mirar um ponto adiante em linha reta, acabaremos formando um círculo, seremos atingidos nas costas. O mesmo aplica-se ao tempo - um circuito fechado, ao qual chamamos toro do tempo - uma representação matemática de uma estrutura de imensas dimensões. No centro dessa rosca, desse toro, o tempo flui com um coeficiente linear, mas também flui em espiral em torno da periferia, falando matematicamente. Se a pessoa afastar-se do centro em direção à borda exterior, encontrar-se-á em uma realidade alternada. 
Ao progredir ao longo dessa borda, o indivíduo entrará em realidades alternadas, paralelas à dele. Houve uma invasão maciça de Greys a partir de 1950. Ela só terminou por que eles já estão aqui. 
Há indicações de que aqui chegaram vindos de um outro continuum tempo-espaço, de um universo diferente do nosso.
 Hoje em dia, penso que esses dois projetos foram criados com o propósito específico de criar um buraco  no  espaço  para permitir uma invasão na Terra. 
Pelo  que  eu saiba, não haviam  xtraterrestres envolvidos no Experimento Filadélfia, ao contrário do Projeto Fênix. Em 1970 já possuíamos as máquinas, mas não a capacidade de criar “buracos no espaço”, como Dr. Sagan denominou-os - a capacidade de viajar não só através do tempo, como também do espaço. 
Essa era a função do Montauk e para tanto, exigia uma tecnologia gerada e fornecida por um grupo de alienígenas que trabalharam  durante dez anos convertendo seus dados tecnológicos para nosso formato 360 IBM, porque na época, as conversões  tinham  que  ser  feitas à mão para nossos computadores. Hoje em dia, temos computadores à altura dos deles, como o Cray 3, que não existia na época. Eles quiseram  vir e criaram uma maneira de entrar em nosso universo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário