Follow by Email

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Lyoto Machida: Construindo um gênio

 Escrito por Alexandre Matos e Antonio Oliveira | Postado em Especiais MMA-Brasil.com, História, Karatê, MMA | Em 26-05-2009

Lyoto Machida, creio, é um desses virtuosos que aparecem poucas vezes em uma geração de atletas. Mas o que forma um sujeito de tamanhas habilidades e competência? Analisando a história deste baiano radicado em Belém, vemos que é um conjunto de fatores combinados. Neste artigo, analisaremos alguns deles.
    Técnica
É impossível não traçar um paralelo entre a história do Jiu-jitsu dos Gracie e do Karatê dos Machida. Helio Gracie e seu irmão Carlos, naturais de Belém do Pará, aprenderam o Jujutsu japonês com a chegada de um imigrante nipônico – Mitsuyo Maeda, o Conde Koma. Por conta de sua pouca força física, os irmãos Gracie adaptaram a arte japonesa e aperfeiçoaram a técnica, criando o que o mundo chama hoje de Gracie Jiu-jitsu, ou Brazilian Jiu-jitsu. Ensinaram sua arte para os filhos que, na busca do aperfeiçoamento da técnica, acabaram por criar um esporte que hoje conhecemos como Mixed Martial Arts, ou simplesmente MMA.
Sensei Yoshizo Machida (foto ao lado) nasceu no Japão e veio morar no Brasil em 1968, desembarcando na mesma Belém do Pará dos irmãos Gracie. Mestre de Karatê Shotokan, faixa preta oitavo dan, Machida também se viu obrigado a aperfeiçoar sua técnica para suplantar sua pequena estatura. Criou assim um estilo próprio, que muitos já começam a chamar de Karatê Machida. Ensinou sua arte aos filhos Shinzo, Kenzo, Take e Lyoto.
    Disciplina
Há algum tempo veio à tona um estudo investigando o segredo de pessoas bem sucedidas. A primeira conclusão chegada pelo trabalho foi que não existe talento puro, mas muito trabalho duro. Todos os gênios estudados praticaram sua arte pelo menos 10 mil horas antes de se tornarem adultos. Em segundo lugar, o artigo apontava para a importância dos desafios da infância. Os foras-de-série, quando crianças, ou superaram problemas enormes ou tiveram pais próximos e disciplinadores.
Lyoto Machida é um caso que comprova a teoria acima. Yoshizo criou os filhos de acordo com a disciplina dos samurais. Começou a ensiná-los karatê desde pequenos. Segundo Lyoto, já aos três anos de idade ele passou a acordar diariamente às 6:00h da manhã para o treino com o pai, prática que carrega até hoje. Acordar atrasado não era opção. No programa UFC Countdown, exibido antes do UFC 98, o atleta resume esta disciplina numa frase que toda pessoa com objetivos poderia escrever ao lado do despertador:
“Você já ganha a primeira batalha ao sair da cama”
Apenas com este hábito, Lyoto deve ter acumulado algo em torno de 6 mil horas de treino em karatê antes de completar 21 anos. Podemos especular que outras 3 mil horas tenham sido gastas praticando a disciplina durante a tarde, na academia do pai. Além disso, com o hábito, Yoshizo condicionou o filho a perseverar constantemente em busca de seus objetivos.
    Humildade
Com a bagagem que teve, Lyoto poderia ter sido gênio do karatê. Porém, um terceiro diferencial fez dele o lutador que é hoje: humildade. Quando Lyoto, aos 15 anos, assistiu ao passeio de Royce Gracie na primeira edição do UFC, não ficou justificando o porquê do karatê do pai ser superior àquilo tudo. Ele foi aprender o Gracie Jiu-jitsu. Anos e outras milhares de horas mais tarde, Lyoto recebeu a faixa preta na modalidade. Antes disso, Lyoto já treinava sumô, arte que começou a estudar aos 8 anos e em que se sagrou vice-campeão brasileiro (categoria até 115 quilos) dez anos depois.
Estes dois dados em si mostram a diferença na mentalidade de Lyoto para o atleta comum. Muitos praticantes de artes marciais tradicionais que crêem na superioridade de sua própria arte são resistentes em gastar tempo aprendendo outras técnicas. Este é um dos grandes motivos pelos quais tais indivíduos não se dão bem no MMA, apesar de serem grandes mestres em sua arte de origem. Mesmo a grande maioria dos membros da família Gracie não se preocupou em dominar nenhuma outra técnica que não a própria. O resultado é que não acompanharam a evolução do esporte e, como consequência, não tem mais nenhum integrante dentre os principais atletas do MMA em atividade.
A precoce humildade de Lyoto em buscar recursos técnicos em outras artes marciais fez com que começasse a aprender desde cedo componentes do MMA que completam a técnica herdada do pai e fazem dele o lutador completo que assombra todos hoje.
    Oportunismo
Lyoto chegou à fase adulta com uma enorme bagagem de aprendizado em karatê, sumô e jiu-jitsu. Certamente foram mais de 10 mil horas de treinos e mais treinos. Porém, a formação deste grande campeão não estava acabada, era hora de entrar no mundo do MMA. Aqui é o momento em que Lyoto encontra Antonio Inoki (foto ao lado).
Nesta breve história, Inoki é o terceiro imigrante japonês que chega ao Brasil. Ele também é um dos mais importantes precursores do esporte. De físico privilegiado, atleta e campeão em diversas modalidades, Antonio Inoki começou a lutar no começo dos anos 60, quando retornou ao Japão sob a tutelagem do lendário Rikid?zan. Em 1972 Inoki fundou a New Japan Pro Wrestling. A organização começou promovendo exibições, mas logo Antonio aperfeiçoou um estilo de luta profissional que funcionava em combates reais. Assim, ele criou o shoot wrestling, outro embrião do MMA atual. Inoki desafiou diversos atletas nas lutas de shoot wrestling e foi o primeiro a retomar um sistema de treino que combinava luta de chão e trocação.
Antonio Inoki tomou Machida sob suas asas e o brasileiro aproveitou a oportunidade. Mudou-se para Tóquio, ingressou no mais experiente centro de treinamento misto da época e treinou wrestling para MMA com um dos maiores especialistas na arte e aperfeiçoador da técnica.
    Um lutador completo
São incontáveis as análises da técnica de Machida que estão pipocando na internet. Elas são válidas para entendermos melhor este fenômeno, porém é preciso evitar superficialidade.
Lyoto não é apenas um karateca, é um prodígio do esporte, mestre e campeão panamericano na modalidade. Lyoto não é um ex-participante do The Ultimate Fighter que começou a praticar jiu-jitsu ontem, mas um faixa preta que estuda esta arte há 15 anos. Lyoto não se dá bem contra wrestlers apenas porque tem uma base boa, ele começou a treinar para isso com 12 anos no sumô e depois foi discipulado pelo sujeito que inventou o wrestling para MMA. Para encerrar a visão deste atleta, vale a pena falar que Lyoto foi estudar Muay Thai na Tailândia e recentemente passou a treinar com os grandes nomes do MMA brasileiro como Anderson Silva, Rodrigo Minotauro e Vitor Belfort, primeiro integrando a extinta equipe Black House, mais tarde em treinos específicos com os atletas individualmente.
Resumindo, Lyoto é a definição do virtuoso, do craque, o sujeito que se esmeira e domina todos os fundamentos de seu ofício. Lyoto não é só domínio supremo da base, chutes, esquiva e contragolpes do caratê. Ele também é clinch, luta, rasteira, joelhadas e finalização. Ou seja, é alguém de quem realmente se pode afirmar: um lutador de MMA completo.
    Cumprindo seu destino
A breve história acima mostra que Lyotos Machidas não podem ser fabricados. Nem todos tem a sorte de ter um pai gênio do karatê, que ama e zela pelos filhos. A sorte de Lyoto também é observada na maneira que ele foi diretamente exposto às duas mais antigas raízes do MMA moderno: o Gracie Jiu-jitsu (por estar no Brasil) e o shoot wrestling (por ter encontrado e criado afinidade com Inoki). Porém, este potencial e as oportunidades que a vida lhe deu teriam passado em branco se Lyoto não soubesse abraçá-los com toda a força. Talvez outros tenham tido chance parecida, mas só há um Lyoto Machida. Tremam os restantes.
Take, Shinzo, Yoshizo e Lyoto Machida no centro de treinamento em Belém
Take, Shinzo, Yoshizo e Lyoto Machida no centro de treinamento em Belém


FONTE:
http://www.mma-brasil.com/semana-lyoto-machida-construindo-um-genio 

Nenhum comentário:

Postar um comentário